Notícia

“Joaquim Gomes ainda tem jeito”, grupo em rede social se encontra pela primeira vez, com fortes relatos e cobranças

Grupo reunido pela primeira vez (foto: Hígor Silva)

Vivemos em uma era 100% conectada, onde as pessoas estão cada vez mais se informatizando e procurando as redes socais para interagir com parentes, amigos e colegas de trabalho. Diante disto, as redes socais também virou campo para cobrança de atitudes melhores das autoridades.

Com reivindicações diversas, um grupo formado no aplicativo Whatsapp, denominado “Joaquim Gomes, Ainda Tem Jeito” já tem mais de 100 adeptos, onde a discussão principal é justamente o andamento das questões políticas e sociais do município. No primeiro encontro realizado na sede da Câmara de Vereadores em Joaquim Gomes, a participação foi pequena, o que segundo os participantes do grupo, a maioria de seus maiores representantes residem na capital e trabalham até mais tarde.

Mesmo assim, eles não deixaram de discutir as suas temáticas, algumas pessoais, e outras no bem comum. O empresário Josinaldo, conhecido popularmente como “Naldinho”, é um dos líderes do grupo, ele relatou ao 40graus, que a intensão principal do mesmo é a cobrança de atitudes mais positivas do atual gestor do município, Adriano Barros, que em sua concepção, vem fazendo uma péssima gestão. 

“Não tenho nenhuma questão pessoal com o atual gestor, mas vejo que ele precisa mudar de atitude, ele não quer escutar ninguém, e isso é muito negativo para o município, moro em Maceió, sou filho de Joaquim Gomes, votei nele, e não só eu, como toda a população tem esse direito de cobrar do Prefeito, uma mudança de atitude”, disse ele.

O Vereador Val Braga, foi até o encontro do grupo e prestou apoio a seus participantes. O parlamentar não fez nenhuma declaração, se conteve a prestar apoio com sua presença. 

A Servidora Maria Helena Lamenha, conhecida como “Lia”, criticou a atitude dos gestores da saúde, em tê-la transferido de setor sem comunicação dos motivos, onde ela relatou que terá que cumprir seu horário no hospital da cidade, mesmo tendo um atestado médico a proibindo de exercer sua profissão em unidade hospitalar. Na UBS Yolita, localizada no centro da cidade, a servidora trabalhou por 16 anos, e segundo ela, a sua transferência é fruto de perseguição política.

Outros participantes também relataram suas reivindicação, o Cantor e Taxista conhecido como  “Índio do Amor”, relatou a dificuldade dos moradores que residem em locais onde não se tem saneamento básico e pavimentação. Ele cobrou que a Prefeitura aplique a renda do IPTU, cobrado em campanha desde outubro deste ano, na melhoria da estrutura dos bairros.

Os  participantes aproveitaram, e também agradeceram ao Presidente da Câmara, Dionízio Bonifácio, onde o mesmo cedeu a “casa do  povo” para ser palco deste primeiro encontro.

We cannot display this gallery