Notícia

Débito milionário deixado por Ana, poderá agravar governo de Adriano, procuradoria do município explica

Prefeito Adriano Barros (foto: assessoria)

Um débito de pouco mais de três milhões de reais deixado pela Gestão de Ana Genilda entre os anos de 2015 e 2016 tem movimentado o setor jurídico e contábil da Prefeitura de Joaquim Gomes, que receberam com surpresa uma correspondência da receita federal, autuando a Prefeitura por falsidade de declaração.

Entre o montante está o não repasse ao INSS já pago pelos funcionários entre este mesmo período, além de multas por compensação tributária, inflacionando o valor em 150%. Para se ter uma noção maior, no mês de janeiro de 2016, a Prefeitura deixou de repassar o valor de 633.593,10, onde a Prefeitura terá de pagar uma multa de 150% deste valor.

Ao todo deixaram de ser repassados os seguintes meses:

  • 10/2015 343.542,42
  • 11/2015 355.010,82
  • 12/2015 384.633,59
  • 01/2016 633.593,10
  • 02/2016 408.972,57

Todos estes valores citados, com multa de 150% em cima, a Prefeitura terá de pagar um montante de 3.220.515,00 (Três milhões, duzentos e vinte mil e quinhentos e quinze reais). A Receita mensal de Joaquim Gomes em média é quase este valor, caso fosse paga de uma vez, a dívida inviabilizaria o município.

Ana Genilda (foto: assessoria)

Para a procuradora, Rosa Cândida, a dívida não deve, e não vai inviabilizar o município, ela explicou a nossa reportagem que toda a providência no campo jurídico e contábil está sendo tomada, uma vez que assim que foi recebida a autuação, ela já estava sentando com o setor contábil, afim de buscar saídas para o pagamento da dívida, bem como, a responsabilização da antiga gestora.

O 40graus tentou contato com a ex-prefeita, Ana Genilda, mas nenhum contato relacionado atendeu as nossa ligações, tentamos inclusive, mensagens via redes socais para alguns parentes próximos, mas não obtivemos retorno.